Medicamentos feitos a partir de plasma já chegaram aos hospitais

Os medicamentos feitos a partir de plasma português já estão a ser usados nos hospitais públicos. A garantia foi dada pelo presidente do Instituto Português do Sangue e Transplantação.

Os novos fármacos estão disponíveis desde o final de dezembro, mas até ao início de março ainda não tinham sido usados porque faltava aprovar a tabela de preços.

"Face à necessidade e às solicitações de alguns hospitais, no sentido de podermos colmatar algumas falhas no fornecimento, decidimos fornecer os medicamentos", revelou João Almeida e Sousa.

A Administração Central do Sistema de Saúde tem ainda de aprovar a tabela de preços, mas, para já, os medicamentos foram entregues aos hospitais públicos à consignação para que possam fazer face às necessidades.

Esta primeira fase do Plano Estratégico Nacional de Fracionamento do Plasma, de 30 mil litros, vai permitir ao Serviço Nacional de Saúde poupar cerca de 2 milhões de euros.

Até ao final deste ano, o Instituto Português do Sangue espera lançar um novo concurso.

Neste Dia Nacional do Dador de Sangue, João Almeida e Sousa garante que Portugal continua a ser autossuficiente em sangue - as dádivas respondem às necessidades atuais, que hoje são diferentes.

Apesar disso, é preciso manter um controlo apertado e o Instituto Português do Sangue tem objetivos bem definidos, como manter "a autossuficiência das reservas, combater a sazonalidade e aumentar o número de dadores".

27-03-2019